Apresentação

A Cátedra Poesia e Transcendência [CPT] | Sophia de Mello Breyner Andresen foi instituída no Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa em 2006, com um carácter multidisciplinar e intercultural, e com o objetivo de estudar as relações entre poesia e transcendência em autores portugueses e estrangeiros.

Entre 2006 e 2013, a Cátedra de Sophia [como é conhecida] foi dirigida por Arnaldo de Pinho, professor catedrático jubilado da Faculdade de Teologia da UCP. Durante esse período foram organizados dois seminários: nos 50 anos de vida literária de Fernando Echevarría [2006] e nos 30 anos da morte de Ruy Belo [2008].

Em 2013, por indicação de Arnaldo de Pinho, Joaquim Azevedo nomeou José Rui Teixeira diretor e presidente do Conselho Científico da Cátedra.

Nos últimos seis anos, a CPT organizou, coorganizou ou fez-se representar em mais de sessenta iniciativas de natureza académica e cultural, desenvolveu e participou em projetos de investigação, coordenou cientificamente cursos e edições; e desenvolveu parcerias com o propósito de promover cooperação específica, académica e cultural, com outras cátedras e com centros de investigação na Europa e na América Latina.

Foi no dia 6 de novembro de 2013 que, no 94.º aniversário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, que a CPT se [re]apresentou à comunidade académica do Centro Regional do Porto da UCP, com uma conferência de José Rui Teixeira – “O vazio que persiste à minha beira. Sobre o lugar de Deus na poesia contemporânea” – e a evocação da memória de Sophia, por Maria João Reynaud.

Em 2014, a CPT organizou dois colóquios: “Os versos de luz por escrever” [no 85.º aniversário da morte de Guilherme de Faria], no dia 4 de janeiro; e “Um outro longe” [no 10.º aniversário da morte de Sophia de Mello Breyner Andresen], nos dias 1 e 2 de julho. Nesse mesmo dia 2 de julho, a CPT esteve representada pelo seu diretor na cerimónia de Concessão de Honras de Panteão Nacional a Sophia de Mello Breyner Andresen. No dia 14 de novembro, foi assinado um importante convénio de cooperação académica e cultural entre a CPT e o Instituto de Pensamiento Iberoamericano da Universidad Pontificia de Salamanca.

O ano de 2015 ficou marcado pela organização do I Colóquio Internacional Poesia e Transcendência, subordinado ao tema “Estética e Mística”. Entre os conferencistas, destacam-se Jaume Aymar [Facultat de Filosofia da Universitat Ramon Llull, Barcelona], Miguel García-Baró [Universidad Pontificia de Comillas, Madrid] e os escritores Hugo Mujica e Valter Hugo Mãe. É no último trimestre de 2015 que principia uma parceria informal com o Centre de Recherches Interdisciplinaires sur les Mondes Ibériques Contemporains [Études Lusophones], da Université Paris-Sorbonne. Essa parceria resulta, em abril de 2016, na representação da CPT nas comemorações do centenário da morte de Mário de Sá-Carneiro, em Paris.

Juntamente com o Instituto de Pensamiento Iberoamericano da Universidad Pontificia de Salamanca, a CPT coorganizou, nos dias 5 e 6 de maio de 2016, as VIII Jornadas de Cultura Hispano-Portuguesa, subordinadas ao tema: “Poesia e Filosofia de Fronteira: diálogos e intertextualidades”. No dia 16 desse mesmo mês de maio, José Rui Teixeira integra a Asociación Latinoamericana de Literatura y Teología, em Buenos Aires, participa no VI Congreso Internacional de Literatura, Estética y Teología [“El amado en el amante: figuras, textos y estilos del amor hecho historia”] e estabelece uma parceria informal entre a CPT e a Asociación Latinoamericana de Literatura y Teología, associação que reúne investigadores das Pontifícias Universidades Católicas de Buenos Aires, Rio de Janeiro e Santiago do Chile. Ainda em 2016, no dia 26 de novembro, a CPT organiza as I Jornadas de Cultura Portuguesa, evocando a memória de António Pedro, no ano do cinquentenário da sua morte.

O ano de 2017 fica marcado pela organização de dois importantes colóquios internacionais: o Colóquio internacional em homenagem a Raul Brandão [nos 150 anos do seu nascimento e no centenário de ‘Húmus’], nos dias 15 e 16 de março; e o II Colóquio Internacional Poesia e Transcendência, subordinado ao tema “Nascidas do sangue das palavras” [vozes e universos poéticos femininos], entre os dias 2 e 5 de julho. Se no Colóquio de março estiveram presentes alguns dos mais reconhecidos especialistas na obra de Raul Brandão, no de julho destacam-se os nomes dos poetas Daniela Camacho, José Tolentino Mendonça, María Negroni e Miriam Reyes. No dia 16 de setembro, a CPT acolheu o escritor Rui Nunes ao Centro Regional do Porto da UCP para uma conversa – subordinada ao tema: “O texto indefeso” – com Jorge Melícias, José Rui Teixeira e Valter Hugo Mãe.

O ano de 2018 ficou assinalado por cinco importantes iniciativas: a coorganização [juntamente com o Instituto de Pensamiento Iberoamericano da Universidad Pontificia de Salamanca], nos dias 10 e 11 de maio, das IX Jornadas de Cultura Hispano-Portuguesa [sobre “Iberismo e identidade cultural ibérica”]; a representação no VII Congresso Internacional de Literatura e Teologia [sobre “Teopoética: Mística e Poesia”], promovido pela Asociación Latinoamericana de Literatura y Teología na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, entre os dias 24 e 27 de setembro; a organização das II Jornadas de Cultura Portuguesa, no dia 16 de junho; a celebração, no dia 26 de outubro, em Barcelona, do centenário das conferências de Teixeira de Pascoaes no Institut d’Estudis Catalans, iniciativa desenvolvida em parceria com as Cátedras de José Saramago [Universitat Autònoma de Barcelona] e de Mário Cesariny [Universitat de les Illes Balears]; e, finalmente, a inauguração da Casa de la Poesía San Juan de la Cruz, no CITeS – Universidad de la Mística, em Ávila, no dia 15 de novembro.

Coincidindo com o 40.º aniversário do Centro Regional do Porto da UCP, em 2019 a CPT evoca a memória de Daniel Faria [no 20.º aniversário da sua morte] e de Sophia de Mello Breyner Andresen [no centenário do seu nascimento]; e apresenta-se como uma instituição reconhecida no estudo das relações entre poesia e transcendência, e na promoção de um diálogo consequente entre a literatura e a teologia.