Práticas Artísticas para a Educação e Inclusão Social - Módulo Artes Performativas 2020|21

PrintPrint
Formação Acreditada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua - Registo de acreditação CCPFC/ACC-109001.
 
Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente
O termo Educação Holistica foi proposto por Ron Miller (1997), no sentido de reunir todas as facetas da experiência humana durante o processo ensino-aprendizagem. De acordo com esse viés educacional, os aspetos físicos, emocionais, sociais, estéticos, criativos, intuitivos e espirituais inerentes ao comportamento humano não podem ser separados da razão, da vocação e da cidadania durante o desenvolvimento da personalidade global do indivíduo (Yus, 2002). Ao refletir a educação sob este prisma mergulhamos em propostas educacionais que apostam na autonomia do aluno e na desfragmentação das disciplinas.
 
Neste contexto, as artes performativas, nomeadamente a dança, a música e as artes dramáticas, configuram-se como importantes ferramentas para o estimulo à aprendizagem. Por meio delas é possível interagir, simular conceitos pré-concebidos e ressignificar a experiência, transformando a informação em conhecimento. Este Curso de Formação dirige-se a grupos de recrutamento distintos pois tenciona promover a criação de um espaço para a vivência de experiências pedagógicas por meio das artes performativas e da dualidade gesto-som (integração entre estimulação sonora e movimento corporal). Visa também estimular a discussão sobre a pratica pedagógica atual de modo a promover a reflexão e elaboração de estratégias de atuação capazes de promover a inclusão social.
 
Objetivos a atingir
  • Capacitar profissionais de diferentes especialidades (educação, arte, comunicação, intervenção social, psicologia e áreas afins) para atuação em contextos de vulnerabilidade social e escolar, de forma a subsidiá-los com ferramentas pedagógicas e modos de ação que possam favorecer a inclusão social e a aprendizagem por meio da arte performativa.
  • Criar espaço para a experimentação da arte performativa, nomeadamente a dança, o teatro e a música, como estratégia de ação para a inclusão na sala de aula.
  • Promover a troca de experiência entre os participantes e a partilha de boas práticas.
  • Estimular a reflexão sobre os desafios da educação básica e o papel da arte como estratégia para a inclusão, estímulo para a aprendizagem, expressão e comunicação.
  • Propiciar a criação de projetos de intervenção por meio da arte, tendo em vista os principais desafios nomeados durante a reflexão sobre a vivência em sala de aula.
 
Conteúdos da ação
Componente 01 - Artes Performativas para a Inclusão Social e Educação (12h)Duração
Experimentação e utilização da arte performativa como metodologia de ensino em contexto escolar e de fragilidade social.
 
  • Técnicas e Métodos de Intervenção pelas Artes Performativas – exposição de projetos e estratégias pedagógicas que aliam o conteúdo programático às artes performativas, nomeadamente a dança, a musica e as artes dramáticas. Como exemplo desta integração apresentaremos atividades que mostram a interseção da música e matemática; o movimento corporal e a literatura, a dramatização e as ciências sociais; a dança e a geometria; os sons e a poesia; a dramaturgia e a geografia, entre outros.
  • Abordagem Holística na Educação e o papel do professor neste contexto: reflexão e discussão sobre a prática pedagógica sob o viés da pedagogia holística e o papel do professor neste contexto
  • Arte, Terapia e Aprendizagem – Workshops e oficina: as estratégias utilizadas para o ensino do programa curricular por meio das artes performativas serão vivenciadas em forma de oficinas práticas. Em cada encontro vivenciaremos uma oficina sendo: 1) A Consciência Corporal, as Ciências Naturais e a Geografia: através de exercícios psicomotores, da dança e do teatro trabalharemos o corpo e suas funções; a noção de tempo e espaço, a lateralidade, a geografia do ambiente, as transformações ambientais, a inserção do corpo como agente modificador do espaço; o conceito de população, entre outros. 2) O Movimento Corporal e as Formas Geométricas: nesta oficina exploraremos a formação do gesto e as formas geométricas, aliando dança e matemática 3) O Som e o Texto: por meio da exploração sonora (som do ambiente) abordaremos diferentes formas de compor uma narrativa. Dentre elas: o poema musical, o desenho do som, a cadencia das palavras; a história cantada, entre outras; 4)As Ciências Sociais e a Dramaturgia: utilizando dinâmicas teatrais trabalharemos diferentes fatos históricos, incentivando os participantes a refletirem sobre o papel do homem como agente transformador do espaço e da construção social da realidade.
Componente 02 – Laboratório Criativo/Projeto Final (12h)
  • Estimular a criação e experimentação das artes performativas como metodologia de ensino em contexto formal de aprendizagem e fragilidade social.
  • Partilha de Boas Práticas – elaboração de estratégias pedagógicas para o desenvolvimento de um plano de estudo inclusivo. Atividade: criação de planos de aula tendo a dança, o teatro e a música como ferramenta didática (trabalho em grupo – com apresentação prática). 
As quatro sessões do Componente 02 destinam-se à criação de projetos de intervenção para a educação e inclusão, tendo como base as diferentes práticas artísticas abordadas durante o primeiro componente. Também se destina à reflexão sobre a importância em se desenvolver novas estratégias pedagógicas para a promoção de uma sala de aula democrática e inclusiva.
 
Metodologias de realização da ação
O curso está dividido em duas componentes, sendo ambos com abordagens teórica e pratica: Artes Performativas para a Inclusão Social e Educação: O primeiro componente destina-se a vivência de estratégias educacionais com foco na articulação das artes performativas, nomeadamente a dança, música e o teatro. Também se dirige para a discussão e o debate de soluções para os desafios encontrados no dia a dia da sala de aula; o estudo das abordagens holísticas na educação; e a análise do papel do professor neste novo contexto.
Laboratório Criativo/Projeto Final: O segundo componente será dedicado à criação de projetos de intervenção para a educação e inclusão, tendo como base as diferentes estratégias de ação com foco nas artes performativas abordadas durante o primeiro componente. Incentivaremos, neste segundo componente, a elaboração de estratégias pedagógicas inclusivas por meio da dança, do teatro e da música.
 
Regime de avaliação dos formandos
  1. Trabalho presencial (70%): Participação, envolvimento, capacidade reflexiva e crítica durante trabalhos em grupo, debates e discussões; Participação e envolvimento nas atividades práticas, oficinas artísticas e laboratório criativo;
  2. Trabalho não presencial (30%): Elaboração do Plano de Aula - apresentação e discussão crítica com entrega de reflexão (escrita)
Fundamentação da adequação dos formadores propostos
Slavisa Lamounier defende sua tese de doutoramento em Ciências e Tecnologia das Artes, na Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa e CITAR, em janeiro de 2020. Seu projeto, com foco no desenvolvimento de um instrumento musical digital (Digital Sock) e na análise do movimento, abordou o estudo dos processos interativos entre corpo-instrumento-ambiente nos contextos artísticos (improvisação e performance), pedagógico (música/dança) e psicopedagógico (terapia ocupacional com estudantes com Necessidades Educativas Especiais). Em 2015 concluiu o curso de doutoramento em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e Educação da Universidade do Porto. Na Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti completou a Pós-Graduação em Educação Especial (2017). Além disso, Slavisa Lamounier é também pós-graduada em Mídia-Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2009), onde concluiu o curso com nota máxima, jornalista, bailarina e coreografa. Possui vasta experiência como formadora em projetos educacionais, tendo sido consultora pedagógica em diversos projetos da Fundação Roberto Marinho (Rio de Janeiro, Brasil) entre 2009 e 2013, com a Metodologia Telessala – destinada à alunos do ensino básico, secundário e jovens/adultos (EJA) em defasagem idade-série (projetos em parceria público-privado). No mesmo período, também lecionou em diversos estabelecimentos de ensino como professora de Artes (oficinas midiaeducativas e artes dramáticas).
 
Bibliografia fundamental
  • Assis M. et al (2017) Ensaios entre Arte e Educação. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa
  • Dalcroze, E. J. (1920). Le Rythme, La musique et l’éducation. Jobin e Cie, Paris, França.
  • Lapierre A. (1982) Reeducação física: cinesiologia, reeducação postural, reeducação psicomotora Vol. II. (6ª ed.) São Paulo: Manole.
  • Miller, J. C. (2007) A Escuta do Corpo: Sistematização da Técnica Klauss Vianna. 2ª ed. Summus Editorial, São Paulo 
  • Yus, R. (2002) Educação integral: uma educação holística para o século XXI. Artmes – 268p

 

DataHoráriosLimite de InscriçõesPreço
6 de fevereiro – 27 de março 20213.ª feira 18h-21
 sábado10h-13h
01/02/2021210 € (Regular)
189 € (Alunos e Alumni UCP)

 

Área de Estudos: 
Artes
Grau de Ensino: 
Formação Avançada
ECTS: 
3
Destinatários: 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Professores do Ensino Especial

Horários: 

6,13, 20, 27 de fevereiro e 6, 13, 20 e 27 de março 2021

3.ª feira das 18h Às 21h e sabado das 10h-13h

24 horas em regime blended
Coordenação: 

Coordenadora do curso:
Slavisa Lamounier

Coordenadora dos cursos livres:
Sofia Serra
sserra@porto.ucp.pt
Contactos: 

Estudos Avançados e Formação
Tel: 22 619 62 02 / 43
formacao.avancada@porto.ucp.pt

Universidade Católica Portuguesa
Rua Diogo Botelho, 1327 | 4169-005 Porto