Práticas Artísticas para a Educação e Inclusão Social - Módulo Artes Expressivas 2020|21

PrintPrint
Formação Acreditada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua - Registo de acreditação CCPFC/ACC-109003
 
Enquadramento
A sociedade atual vivencia a era da informação instantânea, pulverizada pelos meios de comunicação de massa - jornal, revista, televisão e rádio - e pelas tecnologias em rede. A multiplicidade de linguagens com as quais acessamos a informação (cruzamento de imagens, sons, textos e vídeos) transformou portáteis e telemóveis (com sua infinidade de app) em tecnologias indispensáveis ao quotidiano contemporâneo. Em contrapartida, as práticas educativas vigentes ignoram, na maioria das vezes, as potencialidades destas ferramentas, deixando-as de fora da sala de aula. Acreditamos ser imprescindível subsidiar professores e educadores com metodologias capazes de estimular a aprendizagem de forma divertida, reflexiva e critica.
 
Neste sentido, as abordagens midiaeducativas visam democratizar a sala de aula, favorecendo o protagonismo dos estudantes durante o processo ensino-aprendizagem, estimulando-os a pensar e a posicionar-se criticamente diante dos desafios diários. Este Curso de Formação dirige-se a grupos de recrutamento distintos pois tenciona promover a criação de um espaço para a vivência de experiências pedagógicas por meio das artes plásticas, visuais e audiovisuais, sob a perspectiva mídia-educativa – aprender com, sobre e através dos media. Visa também estimular a discussão sobre a pratica pedagógica atual de modo a promover a reflexão e elaboração de estratégias de atuação capazes de promover a inclusão social.
 
Objetivos a atingir
  • Capacitar profissionais de diferentes especialidades (educação, arte, comunicação, intervenção social, psicologia e áreas afins) para atuação em contextos de vulnerabilidade social e escolar, de forma a subsidiálos com ferramentas pedagógicas e modos de ação que possam favorecer a inclusão social e a aprendizagem por meio da arte expressiva.
  • Estimular a utilização dos media na sala de aula nas perspetivas instrumental (como ferramenta pedagógica); reflexiva (como espaço para a reflexão dos conteúdos mediáticos); e produtiva (propagação da mensagem).
  • Estimular a reflexão sobre os desafios da educação básica, o papel da arte e a utilização dos meios de comunicação como estratégias para a inclusão, estímulo para a aprendizagem, expressão e comunicação.
  • Propiciar a criação de projetos de intervenção por meio da arte e utilização dos meios comunicacionais, tendo em vista os principais desafios nomeados durante a reflexão sobre a vivência em sala de aula.
 
Duração
Horas presenciais: 24
Nº de horas acreditadas: 24
 
Conteúdos da ação
Componente 01 – Práticas Artísticas para a Inclusão Social e Educação (12h)
Experimentação e utilização de práticas artísticas (artes expressivas) como metodologia de ensino em
contexto escolar e de fragilidade social.
 
  • Técnicas e Métodos de Intervenção pela Arte - aulas expositivas com exemplos de intervenções por meio das artes plásticas e literatura, a exemplo dos memoriais (cadernos de registo dos sentimentos, poesias, histórias de vida); da fotonovela (fotografia e literatura); das reportagens estendidas e documentários (utilização do audiovisual como ferramenta pedagógica) e das animações (stop motion e pixilation). Após a exposição do tema abriremos espaço para a reflexão sobre a prática e partilha de experiências individuais.
  • Abordagem Mídia Educativa e o papel do professor neste contexto: o conceito de aprendizagem na perspectiva midiaeducativa será exposto por meio de exemplos práticos e discussão textual. Arte, Terapia e Aprendizagem – Workshops e Oficina: As técnicas e ferramentas apresentadas serão vivenciadas em forma de oficinas práticas. Em cada encontro vivenciaremos uma oficina sendo: 1) Memoriais – construção e elaboração de memoriais individuais utilizando as artes plásticas – colagem,desenho, composição textual; 2) Fotonovela – criação de narrativas utilizando a fotografia. Em semelhança à banda desenhada, a fotonovela permite a criação de uma história sequencial. A fotografia substitui o desenho; 3) Animações – elaboração de vídeos de animação utilizando a plasticina, materiais de desperdício e peças de brinquedos (stop motion); e sequencia de fotografias de movimentos corporais (pixilation); 4) Documentário – nesta oficina os participantes aprenderão as fases de conceção de um documentário: a) elaboração da ideia – assunto, entrevistados, formato, tempo de filmagem, local; b) distribuição de tarefas; equipamentos necessários; contacto com os possíveis entrevistados; c) produção do documentário; d) montagem (edição) e exibição do filme
Componente 02 - Laboratório Criativo/Projeto Final (12h)
  • Estimular a criação e experimentação de práticas artísticas como metodologia de ensino em contexto forma de aprendizagem e fragilidade social.
  • Partilha de Boas Práticas – elaboração de estratégias pedagógicas para o desenvolvimento de um plano de estudo inclusivo. Atividade: criação de planos de aula com utilização das ferramentas apresentadas no curso (trabalho em grupo – com apresentação prática).

    As quatro sessões da Componente 02 destinam-se à criação de projetos de intervenção para a educação e inclusão, tendo como base as diferentes práticas artísticas abordadas durante o primeiro componente. Também se destina à reflexão sobre a importância em se desenvolver novas estratégias pedagógicas para a promoção de uma sala de aula democrática e inclusiva.

Metodologias de realização da ação
O curso está dividido em dois componentes, sendo ambos com abordagens teórica e pratica: Práticas Artísticas para a Inclusão Social e Educação: O primeiro componente destina-se a vivência de estratégias educacionais com foco na articulação das artes expressivas, nomeadamente as artes plásticas, audiovisuais e visuais. Também se dirige para a discussão e o debate de soluções para os desafios encontrados no dia a dia da sala de aula; o estudo das abordagens Midiaeducativas; e a análise do papel do professor neste novo contexto
Laboratório Criativo/Projeto Final: O segundo componente será dedicado à criação de projetos de intervenção para a educação e inclusão, tendo como base as diferentes práticas artísticas abordadas durante o primeiro componente. Também incentivaremos a reflexão sobre as práticas escolares sob o foco instrumental, reflexivo e produtivo que orientam a educação para os meios; e a elaboração de estratégias pedagógicas mais inclusivas.
 
Regime de avaliação dos formandos
  1. Trabalho presencial (70%): Participação, envolvimento, capacidade reflexiva e crítica durante trabalhos em grupo, debates e discussões; Participação e envolvimento nas atividades práticas, oficinas artísticas e laboratório criativo;
  2. Trabalho não presencial (30%): Elaboração do Plano de Aula - apresentação e discussão crítica com entrega de reflexão (escrita)
 
Fundamentação da adequação dos formadores propostos
Slavisa Lamounier defende sua tese de doutoramento em Ciências e Tecnologia das Artes, na Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa e CITAR, em janeiro de 2020. Seu projeto, com foco no desenvolvimento de um instrumento musical digital (Digital Sock) e na análise do movimento, abordou o estudo dos processos interativos entre corpo-instrumento-ambiente nos contextos artísticos (improvisação e performance), pedagógico (música/dança) e psicopedagógico (terapia ocupacional com estudantes com Necessidades Educativas Especiais). Em 2015 concluiu o curso de doutoramento em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e Educação da Universidade do Porto. Na Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti completou a Pós-Graduação em Educação Especial (2017). Além disso, Slavisa Lamounier é também pós-graduada em Mídia-Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2009), onde concluiu o curso com nota máxima, jornalista, bailarina e coreografa. Possui vasta experiência como formadora em projetos educacionais, tendo sido consultora pedagógica em diversos projetos da Fundação Roberto Marinho (Rio de Janeiro, Brasil) entre 2009 e 2013, com a Metodologia Telessala – destinada a alunos do ensino básico, secundário e jovens/adultos (EJA) em defasagem idade-série (projetos em parceria público-privado). No mesmo período, também lecionou em diversos estabelecimentos de ensino como professora de Artes (oficinas midiaeducativas e artes dramáticas).
 
Bibliografia fundamental
  • Bévort E. Belloni, M. L. (2009) Mídia-Educação: conceitos, história e perspectivas. Educ. Soc., Campinas
  • Gadotti, M. (2003) Boniteza de um Sonho: ensinar e aprender com sentido Editora Freevale, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Jacquinot, G. (2002) Les jeunes et les médias: perspectives de la recherche dans le monde. L’Harmattan, Paris.
  • Rivoltella, P. C. (2005) Media education: fondamenti didattici e prospettive di ricerca. La Scuola, Brescia
  • Rodrigues, D. (2012) Educação Inclusiva; dos conceitos às práticas de formação: Instituto Piaget

 

DataHoráriosLimite de InscriçõesPreço
17 de novembro – 12 de dezembro 20203.ª feira 18h-21h
sábado 10h-13h
Mais informação: 
formacao.avancada@porto.ucp.pt
Mais informação: 
formacao.avancada@porto.ucp.pt

 

Área de Estudos: 
Artes
Grau de Ensino: 
Formação Avançada
ECTS: 
3
Destinatários: 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Professores do Ensino Especial

Horários: 

17, 21, 24, 28 de novembro e 1, 5, 8, 12 de dezembro de 2020

3.ª feira das 18h Às 21h e sábado das 10h-13h

24 horas em regime blended

Coordenação: 

Coordenadora do curso:
Slavisa Lamounier

Coordenadora dos cursos livres:
Sofia Serra
sserra@porto.ucp.pt
Contactos: 

Estudos Avançados e Formação
Tel: 22 619 62 02 / 43
formacao.avancada@porto.ucp.pt

Universidade Católica Portuguesa
Rua Diogo Botelho, 1327 | 4169-005 Porto